Cuidar de pets especiais pode ser desafiador no início. Mas com as informações adequadas e a prática do dia a dia, fica bem mais simples garantir os cuidados necessários para o bem-estar do animal. 

Por isso, preparamos um conteúdo abordando as principais deficiências e oferecendo dicas práticas para serem adotadas em cada caso.  

Elas vão eliminar eventuais mitos sobre o assunto e ajudar a tornar a rotina bem mais agradável – para tutor e pet. 

Confira e se conhecer alguém que possui um amigo especial em casa, que tal indicar este artigo para leitura? 

Quais as deficiências mais comuns em pets? 

Por conta de problemas de saúde ou acidentes, por exemplo, cães, gatos e outros bichos podem se tornar deficientes físicos.  

Além disso, alguns já nascem com a condição especial ou desenvolvem alguma dificuldade com o avançar da idade. 

Assim, não é incomum que os bichanos percam a visão ou audição, movimentos ou, até mesmo, algum membro. 

Isso significa que o animal não terá mais qualidade de vida? Não, se ele receber cuidados e afeto que precisa – e merece! 

Confira as dificuldades mais comuns em pets:

1. Visão

As causas para o animal perder a visão são várias, entre elas, catarata, lesões na córnea, doenças de retina, diabetes, etc.  

Por isso, é muito importante que o tutor esteja sempre atento a sinais. Por exemplo: coceira frequente e contínua, olhos vermelhos, piscadas constantes e exageradas, olhos lacrimejando. 

Como cuidar de pets especiais que não enxergam 

Comece eliminando os obstáculos e perigos que existem no caminho de seu pet. Como colocar um portão na escada e tirar móveis ou objetos que possam machucá-lo. 

Além disso, mantenha a comida, água, tapete higiênico (se usar) e móveis sempre nos mesmos lugares 

Assim, ele vai se acostumar com cada um deles, no mesmo local, e com o tempo vai chegar ou desviar de cada um sem dificuldades. 

Outra opção é colocar um colar específico para pets cegos ou com baixa visão – parecidos com o elizabetano. Ao usar esse acessório, a extremidade do colar encosta nos locais, evitando que o pet esbarre.

2. Audição

A perda auditiva é comum à medida que a idade do animal avança. Mas também pode ser causada por algum tipo de doença ou até pela exposição frequente a barulhos excessivos. 

Como sempre, a prevenção é o melhor caminho, evitando que o pet seja submetido a ruídos muito altos. Mas se o seu filho peludo tem dificuldades para ouvir, veja alguns cuidados essenciais. 

Como cuidar de pets especiais que não ouvem 

No caso de pets surdos, o tutor deve educar o animal por meio dos sinais com as mãos 

Por exemplo, o dedo polegar para cima (sinal de positivo) pode ser o gesto adotado para mostrar que o pet fez algo certo, seguido de um petisco ou carinho. Já o polegar para baixo, pode ser usado para repreender.  

Em ambos os casos, a expressão facial do tutor também é muito importante. Assim como olhar nos olhos do seu amigo para repassar o que deve (ou não) ser feito. 

Com o tempo e a repetição, ele entenderá o que é pode ou não fazer!

3. Paralisia e perda de membros

A paralisia e perda de membros podem ser resultado de problemas na coluna (como hérnia de disco) doenças, acidentes e, infelizmente, até por maus tratos.  

Contudo, a boa notícia é que os animais se adaptam muito bem à essa situação, desde que receba os cuidados devidos e muito amor! 

Como cuidar de pets especiais que não podem se locomover ou se locomovem com dificuldade 

O primeiro passo é adaptar o espaço, eliminando perigos como escadas ou móveis/objetos pontiagudos, por exemplo. 

Se possível, inclua sessões de fisioterapia ou acupuntura na rotina do pet. Elas são importantes para a qualidade de vida e melhoria da saúde do animal. Aliás, dependendo do quadro clínico, é possível até recuperar parte ou a totalidade dos movimentos com essas práticas. 

Adotar dispositivos como cadeira de rodas ou prótese também é uma forma de cuidar de pets especiais que não podem se locomover ou que perderam membros.  

Mas, claro, deve ser um dispositivo desenvolvido para as características e necessidades do cão ou gato. 

Produtos adaptados ou elaborados sem o acompanhamento de um médico veterinário poderão gerar problemas como agravamento da condição clínica do seu pet. 

Cadeiras de rodas e próteses ajudam a cuidar de pets especiais 

A moderna tecnologia 3D vem transformando a vida de animais com deficiências de locomoção, bem como os que não possuem um ou mais membros. 

Moderna, a impressão 3D permite produzir cadeiras de rodas e próteses resistentes e duráveis. E, acima de tudo, leves e confortáveis, sendo perfeitas para cuidar de pets especiais.  

Este é o caso dos dispositivos da Pineal 3 D, especializada em cadeira de rodas e próteses para pets com deficiência.  

Todos os projetos são desenvolvidos com supervisão de médico veterinário, desde a análise da situação do pet até a adaptação do animal. 

Com esses dispositivos de qualidade, a rotina do pet e do tutor torna-se muito mais prática e agradável 

Isso porque permite que o animal possa se locomover com segurança, podendo se socializar e praticar atividade física, o que é muito importante para sua saúde. 

Como vimos, com amor e adaptação, é possível garantir qualidade de vida aos animais com algum tipo de deficiência.  

Para isso três coisas são essenciais:  

  • Levar o animal regularmente a um veterinário; 
  • Dar muito amor ao bichano; 
  • Oferecer dispositivos seguros, no caso de pets que têm dificuldades para se locomover. 

Se você gostou destas dicas e deseja continuar acessando informações seguras para cuidar de pets com deficiência, continue acompanhando nosso Blog 

Elas foram elaboradas para os pets terem uma vida saudável e feliz. E, claro, para que vocês possam curtir a companhia um do outro por muito tempo! 

Sugerimos que comece lendo: 

Pet com necessidade especial também merece um lar! 

English
Portuguese
Spanish
× Como posso te ajudar?