Socializar pets especiais, ou aqueles que não possuem nenhuma dificuldade, com outros animais é muito importante para a harmonia entre os bichanos. E para o sossego e alegria do tutor. 

Afinal, nada mais gostoso do que aumentar a família, com mais um peludinho em casa. Ou, ainda, ter duas espécies diferentes convivendo numa boa. 

A socialização é importante também para quem não possui mais de um animalzinho em casa, mas deseja sair para passear com seu filho peludo sem passar por problemas.  

Por ser um assunto tão importante, trazemos algumas dicas de nossos especialistas. 

Coloque-as em prática e torne o processo de adaptação bem mais fácil. Depois, é só curtir muito todos os seus filhos do coração.  

A importância da socialização entre animais 

Socializar pets especiais, assim como pets que não possuem nenhuma condição especial, é importante para a segurança do animal e das pessoas.  

Brigas entre animais, mesmo cães e gatos pequenos, podem gerar problemas graves ao bichano e aos tutores que estiverem por perto.  

Registros de cães e gatos que perderam a visão, por exemplo, em função de desentendimentos graves ocorrem continuamente. E é tudo o que queremos evitar, não é mesmo? 

Seja por questões de ciúmes, instinto de liderança ou de territorialismo, é comum que os bichos tenham dificuldades para se relacionar com outros.  

Por isso, a melhor maneira de evitar situações assim é prepará-los para a convivência harmoniosa.  

Mesmo porque, a socialização também é importante por permitir que os animais brinquem e sintam-se felizes na companhia uns dos outros. 

Socialização de pets: quando começar? 

Quanto antes seu peludo começar a se relacionar com outros amigos peludos, melhor e mais fácil será essa prática de convivência. Mas mesmo após estar crescidinho, seu pet pode aprender a socializar – só dará mais trabalho. 

Contudo, para garantir a segurança, só comece esse processo após o animal ter tomado todas as vacinas obrigatórias, entre outros cuidados essenciais. 

Antes disso, só permita o contato com outros pets que estejam devidamente vermifugados, com antiparasitário em dia e, claro, vacinados! 

Depois de estar devidamente protegido, a socialização de seu pet especial com outros pets estará liberada. 

Outro ponto importante: separe os itens pessoais dos bichanos. Cada um deve ter seu prato para alimentação, para água e local para dormir – entre outros. 

Cães e gatos juntos: é possível? 

A resposta é sim! Ou seja, você não precisa escolher entre dog e cat: pode ter os dois debaixo do mesmo teto e desfrutar da boa companhia de ambos. 

Para a convivência ser pacífica e gostosa, contudo, é preciso alguns cuidados básicos. Observe: 

  • Não deixe que seu cachorro transforme o gato em brinquedo; 
  • Separe os espaços, colocando a comida, água e caminha de ambos em locais separados. Com o tempo, se desejarem maior aproximação, aí sim, coloque-os próximos; 
  • Divida sua atenção entre os dois igualmente, pois eles sentem quando estão sendo deixados de lado. Mas, claro, respeite o jeito de cada um; 
  • Ajeite o ambiente para que seja agradável e seguro para os dois.  

Atenção ao socializar pets especiais que usem cadeira de rodas, não os deixe sozinhos com outro animal quando o dispositivo estiver sendo usado.  

Na hora da brincadeira e da corrida é preciso supervisão para garantir a segurança. Aliás, no período de adaptação, evite deixá-los a sós.  

Quando se acostumarem com a presença um do outro, você verá como ficarão felizes juntos. 

Dicas para socializar pets especiais com outros pets

Para maior segurança, comece deixando os animais se observarem à distância em um ambiente seguro 

Depois, aproxime os dois, mas com uma barreira física entre eles. Uma cerca ou portão é o ideal porque poderão se ver e sentir o cheiro, sem riscos. 

O próximo passo é colocar a guia nos pets e, segurando-as com calma e firmeza, permitir que os dois cheguem perto um do outro. Nesse momento, vá fazendo elogios e dando carinho para estimulá-los.  

Sempre deixe que os bichos cheirem a parte traseira do outro. Repita o processo até perceber que já estão à vontade.  

Se o pet não se locomover sozinho, não puder ficar em pé ou se tiver qualquer outra dificuldade, dê condições para que ele possa participar desse entrosamento. 

Sempre considerando as possibilidades dele e garantindo a devida segurança ao seu amigão. 

Um pequeno estranhamento é natural porque é a maneira como determinam a hierarquia entre eles. Mas, havendo sinal de agressividade, afaste-os e recomece o processo.  

Se correr tudo bem, deixe-os continuar a interação, mas continue observando até ter certeza de que podem ficar sozinhos em segurança.  

Dica importante: havendo dificuldade para o entrosamento, considere procurar um especialista em adestramento. 

Cadeiras de rodas e próteses: elementos importantes para socializar pets especiais 

Quando o assunto é socializar pets especiais, as cadeiras de rodas e próteses são itens muito importantes. 

Isso porque, ao usar esses dispositivos, os animais ganham maior independência e liberdade. 

No entanto, alguns cuidados são essenciais, começando pela escolha do fabricante. 

Não abra mão de dispositivos desenvolvidos com tecnologia 3 D, com supervisão de médicos veterinários, como os da Pineal 3D 

Feitos sob medida para cada pet, você vai garantir ao seu amigo um dispositivo leve, confortável e durável. 

Fuja de equipamentos desenvolvidos com peças improvisadas. O problema é que esse tipo de acessório costuma ser muito pesado, desconfortável e pode, até mesmo, causar agravamento no caso clínico do pet. 

Além disso, na hora da brincadeira com outro animal, um material desse tipo pode machucar o outro bichinho. Imagine o estrago que um parafuso sem encaixe perfeito, por conta de improviso, pode gerar. 

Após adotar um dispositivo feito sob medida para seu pet, certifique-se de que ele está totalmente adaptado ao acessório. Aliás, para facilitar esse processo, a Pineal 3D também acompanha o período de adaptação, dando as devidas orientações, incluindo o tempo de uso. 

Com seu bichinho de estimação adaptado à cadeira de rodas ou prótese, será fácil para outros animais que convivem com ele, se acostumarem ao acessório.  

No entanto, sempre que seu pet estiver usando uma cadeira de rodas, garanta que ele tenha a supervisão de um responsável. Isso vale para a segurança dele e de outros peludos.  

Esperamos que nossas dicas para socializar pets especiais tenham sido úteis e te convidamos a conhecer a história da Bella, um dos Cases de Sucesso da Pineal 3D 

Clique, acesse e se apaixone por: 

BELLA, UMA GATINHA ESPECIAL! 

English
Portuguese
Spanish
× Como posso te ajudar?