A união dos tecidos musculares dão origem à estrutura tendínea, que liga o tecido muscular esquelético aos ossos. Essa união transmite a força entre eles e permite a movimentação das articulações e manutenção da postura corporal.

As lesões tendíneas podem acontecer por diversas causas degenerativas ou inflamatórias, com diferentes graus de intensidade. As tendinopatias mais comuns em cães são a tenosinovite do tendão bicipital e do supraespinhoso no ombro (tendinite no ombro), e a tendinopatia do tendão calcâneo no membro posterior.

Como identificar?

Dor e claudicação (manqueira) são os principais sinais clínicos. Porém, para diagnóstico final, pode ser realizado um ultrassom avaliando a condição das fibras tendíneas e a presença de calcificações.

Como Tratar?

O tratamento pode ser feito com medicações para controlar a dor na fase aguda, mas não é indicado em casos crônicos por não ser eficiente e gerar efeitos colaterais. Veja alguns outros tratamentos:

Fisioterapia: exerce papel essencial no remodelamento e cicatrização tendínea, possibilitando a recuperação sem déficit funcional.

Laserterapia e Ultrassom: possibilitam o controle da fase inflamatória.

Eletroterapia (TENS ou Interferencial): atuam no controle da dor.

Acupuntura: oferece um ótimo estímulo à reorganização tecidual, auxilia no controle da dor e inflamações.

Hidroterapia e Natação: oferece a sustentação necessária para a realização de exercícios sem sobrecarga no tendão lesionado. Natação não é indicada em tendinites na região do ombro em casos agudos ou reagudizados.

Fonte: fisioanimal.com

English
Portuguese
Spanish
× Como posso te ajudar?