Evitar perigos para pets especiais é uma tarefa essencial de todo tutor. Afinal, mesmo tendo algum tipo de problema de locomoção ou sendo surdos e cegos, por exemplo, os bichinhos continuam sendo curiosos.  

Assim, vão encontrar uma maneira de superar as dificuldades para ter aquilo que desejam. 

Em outras palavras, basta um pequeno deslize para colocar em risco a integridade física dessas criaturinhas lindas que tanto amamos.   

Por isso, listamos a seguir 7 perigos para pets especiais. A boa notícia é que você pode evitar cada um deles com cuidados simples.  

Leia e descubra como deixar seu lugar ainda mais seguro para o seu amado amigo.

1. A cozinha esconde perigos para pets especiais

Nunca deixe seu pet sozinho na cozinha, especialmente quando o fogão e/ou o forno estiverem quentes. Basta uma pequena encostada para queimar a patinha do seu bichinho. 

O perigo é maior para pets especiais que não tenham sensibilidade na pele e, assim, podem se manter em contato com o calor por mais tempo, aumentando os perigos. 

Evite que o cão ou gato transitem pelo espaço, também, quando você estiver cozinhando. Isso porque o animalzinho pode tirar sua atenção do preparo, aumentando a possibilidade de algum acidente – inclusive para o próprio tutor.

2. Não deixe fiação exposta e tomadas sem proteção

Dependendo do porte do animal, o contato com a corrente elétrica pode ser fatal. Sendo assim, mantenha os fios sempre em perfeitas condições e, se possível, em locais fora do alcance. 

Como já dissemos, pets com deficiência também conseguem acessar itens que chamam sua atenção, ainda que possam ter mais dificuldades para isso.  

Redobre a atenção no período de Natal, quando as luzes costumam decorar a casa e podem representar perigos para seu pet especial. 

Por fim, tampe todas as tomadas, evitando que o bichano coloque a patinha ou focinho.

3. Vaso sanitário e lixo abertos são perigosos

Dependendo da limitação física de seu cachorro ou gato, será possível chegar até o vaso sanitário e beber daquela água imprópria. Isso sem contar que, no caso de bichanos pequeninos, podem cair e se machucar. 

A melhor saída, portanto, é manter a porta do banheiro sempre fechada, evitando que o peludo entre sozinho no ambiente e sofra algum acidente. 

Outra forma de afastar os perigos para pets especiais é cuidando para que o lixo esteja sempre fechado e fora do alcance do seu animal de estimação.  

Afinal, além de sujeira e alimentos impróprios, lixeiras podem conter materiais cortantes e tóxicos. Tudo o que ele não precisa.

4. Produtos de limpeza: um dos maiores perigos para pets especiais

Quando pensamos que esses itens conferem perigos não apenas por conta de ingestão, mas também pelo contato com a pele ou o simples odor, já dá para imaginar o estrago que pode fazer ao seu amigão. 

A solução é manter a porta da lavanderia fechada ou, se não for possível, colocar os produtos de limpeza em locais inacessíveis ao pet – como em prateleiras altas. 

Além disso, na hora da faxina, não deixe-o no ambiente que estiver sendo higienizado. Se houver alguém que possa dar uma voltinha com ele, pegue a cadeirinha de rodas para cão/gato e proporcione um delicioso passeio.

5. Cuidado com móveis, objetos e escadas

Famílias que têm crianças costumam proteger quinas de móveis, tirar objetivos perigosos do alcance dos menores, impedir acesso a escadas ou a cadeiras próximas a janelas. 

Pois os perigos para pets especiais são os mesmos. Assim, faça uma inspeção detalhada e tire do caminho do seu peludo tudo o que pode representar algum tipo de ameaça. Isso vale até para brinquedos muito pequenos!

6. Plantas podem representar ameaça aos bichinhos

Se você tem um animalzinho em casa é preciso ter bastante cuidado ao escolher as espécies de plantas que cultivará. 

Algumas espécies de plantas, embora muito bonitas, apresentam alto grau de toxicidade se mastigadas e/ou ingeridas pelo seu peludo. Por isso, antes de escolher qualquer planta para decorar seu lar, tenha certeza de que ela não apresenta riscos ao bem-estar e à sanidade do seu pet. 

Veja algumas plantas que podem prejudicar a saúde do seu amigão: espada de São Jorge, samambaia, costela de Adão, copo de leite, jiboia, lírio, coroa de Cristo, tulipa, antúrio e begônia. 

Todas elas apresentam variados graus de toxicidade, resultando em sintomas como: salivação excessiva, vômito e dificuldade de engolir. E, se houver contato da seiva com os olhos, pode causar uma intensa irritação seguida de lacrimejamento. 

Outras plantas que apresentam riscos são: 

  • Azaleia e espirradeira, provocando mal estar digestivo com sintomas como náusea, vômito, dores abdominais. Podendo chegar à apatia, diminuição de frequência cardíaca e até convulsões; 
  • Hortênsia, gera dores abdominais, náusea, diarreia, dificuldade respiratória e convulsões. 

Caso seu animalzinho ingira alguma planta e você observar se houve alguma mudança no comportamento dele, a melhor coisa a ser feita é procurar um médico veterinário. 

E, de preferência, já identifique a planta com a qual ele teve contato (na dúvida, tire uma foto). Essa simples ação vai ajudar o profissional a definir qual será o melhor procedimento clínico, fazendo toda a diferença na hora de socorrer o seu pet!

7. Cadeira de rodas e próteses improvisadas para pets

Dispositivos improvisados, que não levam em consideração as condições clínicas e as características do animal representam um dos grandes perigos para pets especiais. 

Isso porque cadeiras de rodas e próteses precisam ser desenvolvidas com base no perfil de cada animal. Dispositivos feitos com peças improvisadas e pesadas, sem o aval de especialistas, podem ocasionar agravamento nas condições do pet. 

Para evitar essa ameaça, a solução é escolher uma empresa especializada no desenvolvimento de projetos para cães e gatos especiais.  

Pineal 3D, por exemplo, utiliza inovadora tecnologia 3D para desenvolver projetos que devolvem a mobilidade a animais com problemas de locomoção ou que perderam membros.  

Desde o estudo do caso, até o desenvolvimento do dispositivo adequado, passando pelo acompanhamento e adaptação do pet à cadeira de rodas ou prótese, o tutor tem a garantia de estar oferecendo o melhor ao seu amigo. 

Isso porque, além dos modelos leves, confortáveis e de alta durabilidade, a Pineal 3D oferece supervisão de médicos veterinários em todas as etapas do projeto. 

Assim, você garante autonomia ao seu pet, sem abrir mão da segurança. 

Agora que você conhece alguns dos principais perigos para pets especiais e já sabe como evitá-los, aproveite para acessar nossa galeria de Cases de Sucesso. O resultado fala por si só – acesse e se emocione: 

CASES DE SUCESSO PINEAL 3D 

 

English
Portuguese
Spanish
× Como posso te ajudar?